Bem-vindo à página de artigos Aqui você encontra artigos publicados por técnicos do IBGE e todas as apresentações institucionais em formato PDF.

Ajustamento da Rede Planimétrica do Sistema Geodésico Brasileiro

COSTA, S.M.A e FORTES, L.P.S.

RESUMO

A implantação da Rede Planimétrica do Sistema Geodésico Brasileiro pelo IBGE foi iniciada na década de 40 no estado de Santa Catarina, como subsídio na instalação das minas de carvão. Desde então, a rede planimétrica tem sido submetida a diversos ajustes. Na década de 70 foi realizado pelo Inter American Geodetic Survey (IAGS), um ajustamento utilizando-se a metodologia de sub-divisão da rede planimétrica em áreas. O ajustamento ora em pauta visa o refinamento e a eliminação de distorções das coordenadas planimétricas, referidas ao SAD-69, oriundas de outros ajustes. Desta forma, todas as observações terrestres convencionais (distâncias, direções e azimutes) estão sendo preparadas e reprocessadas, antes de serem submetidas ao ajuste. Esta etapa compreende o reprocessamento das bases e azimutes astronômicos, bem como a implantação e crítica, em meios magnéticos, das direções horizontais.

Pretende-se, também, utilizar as observações de natureza espacial obtidas do sistema TRANSIT e GPS, estabelecendo portanto, um controle mais rigoroso no ajuste da rede. Este ajustamento da rede planimétrica prevê a utilização do Sistema GHOST (Geodetic adjustment using Helmert blocking Of Space and Terrestrial data), fornecido ao IBGE pelo Departamento de Minas, Energia e Recursos do Canadá. Este sistema é constituído por um conjunto de programas desenvolvidos para ajustar redes geodésicas (tridimensionais), através do método dos mínimos quadrados, tendo como característica principal a decomposição da rede em blocos (Helmert Blocking).

download


© 2019 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística